Millenium Papers
Para Entender o Brasil

O projeto Millenium Papers, do Instituto Millenium, é uma série de policy papers feitos por renomados especialistas, para entender o Brasil e fomentar o debate sobre as políticas públicas no país.

Com o final do ano e, principalmente, com as novas eleições se aproximando, todos costumamos questionar “como construir um país melhor?”.

Invariavelmente, essa resposta (nada fácil) esbarra em um elemento muito importante: contas públicas. Buscar o equilíbrio entre a receita e as despesas do Estado, é a chave para termos a chance de buscar um futuro mais próspero, já que, nas palavras da CEO do Instituto Millenium, Marina Helena Santos, “é preciso cuidar das contas públicas para cuidar das pessoas”.

Por isso, esse foi o tema escolhido para as duas primeiras edições do Millenium Paper, novo projeto do Instituto Millenium, em parceria com a Consultoria de Inteligência especializada em Ciência de Dados, Neocortex, lançado hoje, com o objetivo de ampliar o debate sobre políticas públicas, por meio de policy papers feitos por grandes especialistas no tema Brasil.

Estreando o Millenium Paper, temos o estudo “Sob a espada do endividamento”, no qual os autores Jeferson Bittencourt, ex-Secretário do Tesouro, e Bruno Funchal, ex-Secretário Especial do Tesouro e Orçamento do Ministério da Economia, mostram como o alto endividamento público atrapalha o crescimento do país.

Bruno Funchal explica que essa relação entre o aumento da dívida pública e a diminuição do crescimento, pode ser percebida a médio e longo prazo. “Às vezes é feita uma política fiscal expansionista, o que acaba aumentando a dívida e gerando o que a gente chama de “voo de galinha”. Ou seja, é possível crescer muito no curto prazo, mas o crescimento de longo prazo é muito comprometido, e isso tem que ser evitado”.

Para Jeferson Bittencourt a discussão sobre equilíbrio fiscal é fundamental às vésperas de um ano eleitoral. “Temos que pensar qual é o tamanho da conta que nós queremos deixar para os nossos filhos e netos. Porque o contexto é totalmente diferente se deixarmos para os filhos e netos, por exemplo, um investimento, uma estrada, uma ponte, uma fábrica de vacina, e uma dívida que paga esses equipamentos. Ou se deixarmos para as futuras gerações uma folha de pagamento elevada, com um volume elevado de benefícios, para servidores públicos”, destaca.

Os Autores
Jeferson Bittencourt

Jeferson Bittencourt​ é ex-Secretário do Tesouro do Ministério da Economia

Bruno Funchal

Bruno Funchal​ é ex-Secretário Especial do Tesouro e Orçamento do Ministério da Economia

Entrevista com os autores do estudo “Sob a espada do endividamento”

​Bruno Funchal e Jeferson Bittencourt, explicam com exclusividade os principais pontos da análise sobre os impactos do alto endividamento na economia brasileira.

Quem Está Falando

JORNAL NACIONAL

Estudo demonstra como desequilíbrio das contas e o aumento do endividamento têm impedido o crescimento da economia

​Em 2012, dívida bruta do governo brasileiro era de 62% do PIB, cresceu nos últimos dez anos e está bem perto dos 100% de tudo que o país produz em um ano.

JORNAL DA CULTURA

Dívidas públicas dificultam aprovação de reformas

O Jornal da Cultura entrevista o economista Jeferson Bittencourt para falar sobre o estudo do Instituto Millenium, que mostra a relação entre a dívida pública e o crescimento de um país.

ESTADÃO​

​Instituições fortes, boas políticas públicas e credibilidade da política fiscal podem mitigar efeito negativo da elevada dívida sobre o crescimento.

FOLHA DE S.PAULO

​É fácil conquistar eleitores oferecendo tudo de graça e vendendo a ilusão de que só os ricos pagarão a conta.

FOLHA DE S.PAULO

Orçamento é dominado por gastos obrigatórios e despesas direcionadas por parlamentares.

ESTADÃO

Funchal e Bittencourt, que deixaram a pasta da Economia em 2021, publicam estudo sobre o alto endividamento das contas do governo.

O GLOBO

Funchal e Bittencourt, que deixaram a pasta da Economia em 2021, publicam estudo sobre o alto endividamento das contas do governo.

DINHEIRO RURAL​

Funchal e Bittencourt, que deixaram a pasta da Economia em 2021, publicam estudo sobre o alto endividamento das contas do governo.

FEEDY NEWS​

Funchal e Bittencourt, que deixaram a pasta da Economia em 2021, publicam estudo sobre o alto endividamento das contas do governo.

ISTOÉ DINHEIRO​

Funchal e Bittencourt, que deixaram a pasta da Economia em 2021, publicam estudo sobre o alto endividamento das contas do governo.

UOL ECONOMIA​

Funchal e Bittencourt, que deixaram a pasta da Economia em 2021, publicam estudo sobre o alto endividamento das contas do governo.